Acompanhe nas Redes Sociais

7 News:

Notícias

10 práticas de gestão para a sua empresa crescer na Nova Economia

Entenda por que algumas empresas sobrevivem com sucesso ao longo de muitos anos enquanto outras perdem sua capacidade de operar e inovar

Publicado

on

Photo: Shutterstock

Por que algumas empresas sobrevivem com sucesso ao longo de muitos anos enquanto outras, também de sucesso, perdem sua capacidade de sobrevivência? Essa pergunta está na cabeça de todo gestor(a), seja ele(a) um(a) empreendedor(a) ou um executivo(a) que administra uma empresa ou unidade de negócios.

Com essa mesma pergunta na cabeça, um grupo de pesquisadores brasileiros, ligados à Fundação Dom Cabral (FDC), investigaram os motivos que levam as empresas a morte, no estudo Longevidade e Sobrevivência no Mundo Empresarial Brasileiro, uma das pesquisas mais completas feitas sobre o assunto no Brasil. O estudo usa uma base de dados de mais de 500 empresas e usa métodos quantitativos e qualitativos para avaliar o desempenho desses negócios no período de 1973 a 2005.

A conclusão dos pesquisadores é que apenas 23,4% (117) das 500 maiores empresas brasileiras se mantiveram vivas, crescendo e inovando até 2005. A maioria desapareceu. Os motivos: falta de conhecimentos gerenciais (sobre as novas técnicas e filosofias de gestão), ausência de capacidade empreendedora. Segundos os pesquisadores, em segundo lugar vieram as causas econômicas conjunturais (recessão econômica, os maus pagadores e a falta de clientes).

Motor do Crescimento

Com um outro olhar, distinto dos pesquisadores da FDC, os investidores e executivos Pedro Englert e Eduardo Glitz, respectivamente CEO e sócio da StartSe, se interessaram por entender o que as empresas mais inovadoras do mundo têm em comum, que as faz continuamente se manter inovadoras e líderes em seus segmentos de atuação – e, em alguns casos, liderando mesmo em setores não relacionados à sua atividade original.

Com esse intuito, Englert foi passar um período no Vale do Silício, em 2015. “Vi de perto uma nova maneira de fazer negócios. Muito mais ágil, transparente, e com um novo propósito”, diz. Já Glitz viajou por 42 países, conhecendo empreendedores e empresas inovadoras. De volta ao Brasil, os dois foram empreender novos negócios e investir em startups que consideravam disruptivas em segmentos distintos com financeiro, educação e moda.

Ambos são sócios em mais de sete negócios distintos entre eles a fintech Warren, a fabricantes de calçados Yuool, e a StartSe, do setor de educação. Em comum, esses empreendimentos têm o modelo de gestão e a velocidade de crescimento (acelerado).

Englert e Glitz reuniram as experiências práticas que tiveram nos últimos anos, na condução destes negócios, com erros e acertos, em um método de gestão que agora virou o curso online Motor do Crescimento, cuja venda se encerra nesta sexta-feira, às 11h59.

Abaixo, um resumo com as 10 práticas de gestão, que no curso online são abordadas em maior profundidade, que você precisa incorporar ao dia-a-dia para a sua empresa crescer na Nova Economia.

1. Pare de administrar sua empresa olhando pelo retrovisor. Quando crescem, as empresas procuram se proteger e entram em um modelo mental de manutenção do que conquistaram. Evitam tomar risco, ficam muito presas às suas metas, e isso cria uma cultura conservadora. O cliente não admite mais esse conservadorismo. Ele quer respostas mais rápidas para as demandas que faz à empresa, quer produtos e serviços mais alinhados às suas necessidades. Para isso, a empresa precisa olhar para fora de suas fronteiras, para inovar.

2. Pratique a gestão por contexto e abandone a gestão por controle. A gestão por contexto começa com um propósito muito forte, que precisa ser incorporador por todos, para que as pessoas então sejam ensinadas a trabalhar com autonomia, tendo clareza dos objetivos de curto e longo prazo da empresa, e passem então a experimentar e criar (projetos, produtos, serviços). O erro tem que ser visto como parte do contexto de aprendizado e o acerto, como um evento a ser premiado (PLR, no curto prazo e sociedade no longo prazo)

3. Liberdade com responsabilidade. Certifique-se de que os funcionários conhecem os objetivos de negócio, então dê autonomia e exija responsabilidade no cumprimento das metas

4. Pratique, obstinadamente e com disciplina, a meritocracia. A noção de que os melhores profissionais, àqueles que mais contribuem para o sucesso do negócio, devem partilhar do resultado financeiro da empresa é recente. E tem se mostrado uma tremendo diferencial como prática de gestão, tanto para atração e retenção de talentos como tática para diversificação de riscos.

5. Coloque, de uma vez por todas, o cliente no centro de sua estratégia de negócios. Fácil de falar, difícil de praticar, esse é um capítulo que está bem detalhado no curso online Motor do Crescimento.

6. Cuide para que a execução de seus projetos garanta a satisfação máxima do cliente. Relacionado à prática anterior, aqui o foco é a execução e a busca incessante por colocar o cliente no centro da estratégia do negócio. Há um capítulo especialem Motor do Crescimento, cujo tutor é Mauricio Benvenutti, que trata sobre o novo comportamento do consumidor. Entender o consumidor é um primeiro passo para executar direito os serviços e produtos destinados a ele(a).

7. Aja com total transparência. Esse é um valor do século 21. Como incorporá-lo aos negócios? Englert e Glitz contam como trazer esse valor para o dia-a-dia da empresa.

8. Aprenda a pensar e agir como uma startup. Um dos grandes segredos das startups é que criam as coisas com base em processos diferentes. Em vez de usar cenário de cinco anos e colocar um monte de gente executando, elas definem uma hipótese. Por exemplo, como é possível pedir um táxi usando o smartphone. Não será um produto ou serviço a ser lançado daqui a dois anos. A validação é a mais curta possível, o entendimento sobre o negócio, certo ou errado, é mais rápido e simples e isso diminui muito o risco e o custo de lançamento e de distribuição. À medida que coloca a hipótese do negócio na rua, já é preciso tentar validar se é positiva ou negativa. Se errar nessa fase, vira um aprendizado, corrige a hipótese e coloca na rua de novo. A preocupação de uma startup não é lançar um produto sensacional, mas praticar, corrigir e evoluir. “Ao se aproximar de startups, as empresas tradicionais conseguem melhorias interessantes nos seus processos, tornam a operação mais rápida, trazem novas linhas de receita e trocam informação com base em uma nova cultura”, diz Englert.

9. Saiba como identificar a concorrência transversal (de outro mercado) e assimétrica (que entra no seu mercado de forma extremamente relevante). A competição agora é transversal e assimétrica, ou seja, os pequenos concorrem com os grandes e todos concorrem lateralmente, com negócios que se misturam em algum momento. Um exemplo é a Rappi, aplicativo de entregas, cuja marca se tornou conhecida também pelos motoboys com coletes e caixas laranjas. Recentemente, a Rappi lançou uma função para transferência de dinheiro entre usuários de seu app. Com isso, surgiu a discussão: a Rappi vai competir com as fintechs? O questionamento surgiu quando a empresa recebia um aporte, no valor de 200 milhões de dólares.

10. Forme um time espetacular e transforme os melhores em seus sócios (no seu negócio ou em novos negócios). Esse é o verdadeiro segredo das empresas bem-sucedidas e inovadoras.

Notícias

Streaming online está recuperando as perdas da indústria musical global

Publicado

on

Os serviços de música via streaming online, como Spotify e Apple Music tornaram-se a menina dos olhos da indústria musical em anos recentes e hoje representam o maior faturamento do mercado mundial, já tendo ultrapassado as vendas físicas (CDs e DVDs) e os downloads.

O rápido crescimento dos serviços de streaming musical em anos recentes vem levando à recuperação das receitas globais da indústria da música, que experimentou seu terceiro ano consecutivo de resultados positivos, conforme relatório divulgado em janeiro pela IFPI –International Federation of the Phonographic Industry, entidade que representa os interesses da indústria fonográfica e reúne mais de 1.450 empresas discográficas, grandes e pequenas, de 75 países diferentes, com sede em Londres, Inglaterra.

No ano passado, o faturamento oriundo das assinaturas de streaming musical representou 38% de toda a musica gravada no mundo, um crescimento de 29% sobre 2018.

Líderes da indústria fonográfica informam que o crescimento do music streaming está permitindo a mercado atingir novas regiões do mundo, bem como afastando toda uma nova geração de fãs da música pirata e/ou ilegal.

A América Latina e a China foram responsáveis pela maior fatia de crescimento do mercado, com aumentos de 17,7% e 35,3% respectivamente.

As vendas totais de música em 2019 alcançaram US$ 19.1 bilhões (R$ 82 bilhões), sendo 47% disso proveniente do music streaming, ou US$ 8.9 bilhões (R$ 38,5 bilhões).

Fonte: IFPI – International Federation of the Phonographic Industry

Continue lendo

Notícias

Com motim de PMs, Ceará já registra 170 homicídios, média de 6 por dia. 10 batalhões ocupados

Publicado

on

Estado recebeu reforço da Força Nacional e Forças Armadas. Policiais militares do estado fazem motim por aumento salarial.

O Ceará registrou o período mais violento do ano na última quarta-feira 19/02. Das 0h às 23h59, foram 29 assassinatos no estado, conforme a Secretaria Estadual de Segurança Pública. O recorde das mortes ocorre em meio ao motim dos policiais e bombeiros militares do estado por aumento salarial.

De 1º de janeiro a 18 de fevereiro deste ano, a média no Ceará foi de seis homicídios por dia. Até então, a data mais violenta do ano tinha sido 18 de janeiro, quando ocorreram 17 crimes violentos letais.

A violência, no entanto, continuou no Ceará. Na madrugada desta sexta-feira, foram registrados pelo menos mais dois assassinatos. No Bairro Vicente Pinzón, em Fortaleza, um adolescente de 16 anos foi surpreendido por cerca de sete homens que estavam a bordo de várias motocicletas e foi morto a tiros. No Bairro José Walter, um tiroteio em uma praça deixou uma pessoa morta e outra ferida.

Na noite de quinta-feira, após reunião entre representantes dos policiais e comissão de senadores, os policiais militares que participam do movimento decidiram recusar proposta do governo para chegar a um acordo do fim da paralisação. “Mas nós vamos continuar aqui (no quartel) com a decisão da maioria da categoria e nós só estamos aqui para obedecer o que a maioria decidiu”, disse o ex-deputado Cabo Sabino, um dos representantes do movimento.

Já nesta sexta-feira, um grupo de homens encapuzados fechou a unidade que abriga a base da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) e do Batalhão de Ronda e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio) em Sobral. Segundo o coronel Colares, comandante do 3º Batalhão de Policiamento de Sobral, os homens secaram os pneus de carros e motos da polícia que estavam na unidade.

Violência no Ceará

Veículo bateu em muro após mulher ser baleada em latrocínio em Fortaleza — Foto: Rafaela Duarte/SVM
Veículo bateu em muro após mulher ser baleada em latrocínio em Fortaleza — Foto: Rafaela Duarte/SVM

Veículo bateu em muro após mulher ser baleada em latrocínio em Fortaleza — Foto: Rafaela Duarte/SVM

Em um dos crimes ocorridos nesse período, Maria de Paula Moura foi vítima de latrocínio no Bairro Edson Queiroz, em Fortaleza, na noite de quarta-feira.

Conforme a Secretaria da Segurança Pública, policiais amotinados realizam atos de “vandalismo”, furando pneus de veículos da Polícia Militar para tentar impedir o trabalho dos demais policiais militares.

Em um momento crítico da crise, o senador licenciado Cid Gomes foi baleado no peito quando tentou entrar com uma retroescavadeira em um batalhão onde policiais estavam amotinados em Sobral. Cid recebe atendimento em hospital particular de Fortaleza e não corre risco de morrer, conforme familiares.

Na terça-feira, três policiais foram presos suspeitos de furarem pneus de carros da Polícia Militar. No terceiro dia de motim dos policiais, pelo menos cinco batalhões da PM foram invadidos e tiveram os pneus esvaziados ou rasgados.

A proposta do governo é aumentar o salário de um soldado da PM dos atuais R$ 3,2 mil para R$ 4,5 mil, em aumentos progressivos até 2022. O grupo de policiais que realiza as manifestações reivindica que o aumento para R$ 4,5 mil seja implementado já neste ano.

Reforço na segurança

Como reação ao motim dos policiais, o governador do Ceará, Camilo Santana, determinou que policiais civis fizessem patrulhas nas ruas.

O Governo Federal atendeu a pedido do governador e enviou tropas das Forças Armadas e Força Nacional para reforçar a segurança no estado.

O envio de tropas do Exército ocorre por meio da implementação da Garantia da Lei e da Ordem (GLO). Conforme o Ministério da Defesa, a aplicação da Garantia da Lei e da Ordem ocorre “nos casos em que há o esgotamento das forças tradicionais de segurança pública” e em “graves situações de perturbação da ordem”. Nesses casos, é concedido a militares das Forças Armadas o “poder de polícia até o restabelecimento da normalidade”.

Motim em batalhões no Ceará — Foto: Aparecido Gonçalves/G1

Motim em batalhões no Ceará — Foto: Aparecido Gonçalves/G1


Continue lendo

Notícias

7 dicas para aproveitar ao máximo o HDR da câmera do seu smartphone

Publicado

on

Quase todos os smartphones já disponibilizam o modo HDR, para melhorar o resultado final das fotografias.

O HDR (High Dynamic Range) alcance dinâmico ou faixa dinâmica das câmaras significa um alto contraste entre as partes mais claras e mais escuras de uma imagem e é, normalmente, muito menor do que o olho humano. Para tentar melhorar esse aspecto, algumas técnicas foram criadas para ampliar este alcance das imagens digitais, como é o exemplo do HDR.

De uma forma muito resumida, este modo tem como objetivo obter o maior alcance dinâmico possível com a câmara do seu smartphone, tentando melhorar as luzes e sombras.

Para que vocÊ possa usufruir ao máximo do HDR, apresentamos sete (7) dicas para a melhor utilização deste sistema.

Sem modo automático

O modo automático do HDR ajuda a que todos aqueles que não possuem grande conhecimento fotográfico não precisem de pensar muito ao decidir quando usar ou não este modo. Contudo, em alguns smartphones os modos automáticos nem sempre são bem ajustados, Nesses casos, o HDR poderá ser utilizado quando não é necessário o que dará à foto um aspeto mais irreal do que deveria.

Em geral, sempre que possível, é aconselhável usar o modo HDR manualmente, Por exemplo, quando se tirar uma fotografia em contraluz (ou outros tipos de grande contraste de luz), na maioria dos casos será necessário utilizar este modo.

Testar primeiro sem HDR

Por vezes, para se conseguir uma excelente fotografia, o melhor mesmo é parar um pouco para poder experimentar vários modos. Experimente primeiro tirar uma foto sem HDR. Em seguida, poderá verificar se a faixa dinâmica é adequada ou não e assim decidir se é necessário ativar este modo.

O alcance dinâmico é a capacidade da câmara capturar os detalhes nas luzes e sombras da mesma imagem. Ou seja, se se tirar uma fotografia normal e se perceber que uma área é mais escura ou mais clara para o seu gosto, saberá que a faixa dinâmica do smartphone não é suficiente e poderá usar o HDR.

Não exagerar no efeito do HDR

Existem aplicações como a Snapseed (editores de fotos) que têm a possibilidade de sombrear ou aumentar o efeito e a intensidade do HDR.

Se colocar no máximo, acabará por obter uma imagem mais imperfeita ou irreal do que deveria.

O foco automático pode ajudar

Independentemente de se utilizar o modo HDR automático ou apenas o ativar manualmente, há um pequeno truque que o poderá ajudar algumas vezes. Como já referimos, existem smartphones onde o HDR é mal ajustado, podendo originar uma foto muito clara ou queimada.

O truque neste caso é tocar na parte inferior do ecrã para que este analise novamente a imagem e ajuste a exposição de luz. Pode resultar na maioria dos casos, por exemplo, tocar nas áreas mais iluminadas para que o smartphone tome como referencia essa luz e aumente as sombras com o HDR.

Salvar sempre a foto original

Algumas câmara de smartphone permitem tirar duas fotografias ao mesmo tempo, onde uma é apresentada com HDR e outra sem este modo ativo. Normalmente estes dispositivos guardam a foto original para que se possa analisar no fim qual a preferida. Se o seu smartphone tiver a possibilidade de guardar as fotos originais, é recomendado que esteja sempre ativo.

Deste modo, sempre que for preciso poderá recuperar a foto “original”, ou seja, sem o modo HDR, para poder comparar e decidir qual delas gosta mais sem ter de tirar nova fotografia. Isto é especialmente útil quando não se tem tempo para andar a tirar várias fotos ativando e desativando o modo HDR.

Desativar o HDR à noite

O HDR e as fotografias noturnas dificilmente se dão bem, por isso é que geralmente é melhor não usar este modo à noite. Se o utilizar, é facil para o smartphone aumentar as aquarelas como forma de exposição. Isso significa que os detalhes serão perdidos nos objetos que aparecem nas fotografias e que as bordas poderão ficar indefinidas ou borradas, como se esta estivesse pintada.

Existem smartphones com uma boa qualidade HDR à noite, como o Google Pixel, mas se não tiver um dispositivo de última geração o melhor será mesmo esquecer este tipo de fotos.

Smartphone estabilizado e sem objetos em movimento

De modo a formar uma fotografia HDR, o seu smartphone capta várias fotos para obter um resultado final. Na maioria dos casos, tirar fotos com objetos em movimento de fundo é sempre difícil mesmo durante o dia. Numa foto HDR esta dificuldade acaba por ser maior.

Ou seja, num caso que tenha de tirar uma foto com elementos em movimento o melhor é esquecer o modo HDR. Por outro lado, será sempre mais fácil para estes casos ter o smartphone o mais estável possível de modo a melhorar o efeito final, não descartando a ideia de usar até mesmo um tripé.

Aplique estas dicas nas suas fotografias e verá que conseguirá atingir melhores resultados no seu smartphone.

Fonte: pplware.sapo.pt

Continue lendo

Tendências

Copyright © 2020 - 7ports.com.br