Acompanhe nas Redes Sociais

Cidades

Saiba o que está proibido no Rio durante o combate ao Coronavírus

Publicado

on

Carro da Defesa Civil orienta banhistas
Carro da Defesa Civil orienta banhistas Foto: Divulgação

A partir do momento em que o Rio entrou em estágio de atenção, na última sexta-feira, e da criação de um gabinete de crise do município a cada dia a lista de medidas no combate ao novo coronavírus aumenta. E isto não só para os cariocas. Os moradores de outras cidades do estado também têm sofrido os impactos de uma série de restrições para evitar a propagação do Covid-19. O governo do estado também criou um gabinete de crise, no dia 13, para as tomadas de decisão. Entre as mudanças na rotina, proibição de ônibus intermunicipais, decretos sobre a lotação no transporte público, fechamento de aparelhos culturais e redução no horário para o comércio. Para ajudar a acompanhar as mudanças, listamos o que muda no Rio para os próximos dias.

Transportes

  • Município: O pedido para evitar aglomerações e locais fechados é de longa data. Desde a última terça-feira, dia 17, o prefeito do Rio Marcelo Crivella anunciou ser proibido passageiros em pé nos ônibus convencionais e no BRT. Na sexta-feira, dia 20, a prefeitura endureceu as restrições e suspendou quatro linhas e criou outras duas novas a fim de reduzir a circulação de pessoas na cidade. Para fazer valer a determinação, há fiscais nas garagens dos ônibus do BRT, guardas municipais nas estações e até a ameaça de prisão dos motoristas que circularem com os veículos lotados. Confira as mudanças aqui.
  • Estado: O governador Wilson Witzel publicou dois decretos nesta semana para evitar aglomerações e impedir a propagação do vírus. No primeiro, determinou redução de 50% da capacidade de lotação em ônibus intermunicipais, trens, metrôs e barcas. O passe livre dos estudantes foi suspenso por 15 dias. No segundo, que vale a partir de sábado, dia 21, isola a capital da região metropolitana com as seguintes medidas:
  • Oito estações da Supervia não funcionarão nos ramais: Japeri: Olinda; e Presidente Juscelino; Belford Roxo: Coelho da Rocha; Agostinho Porto; e Vila Rosali; e Saracuruna: Campos Elísios; Corte 8; e Jardim Primavera.
  • CCR Barcas interrompe transporte para Cocotá e Charitas.
  • Ônibus intermunicipais: a circulação dos ônibus que fazem a ligação da região metropolitana à capital está proibida. Os 22 municípios da região metropolitano são: Belford Roxo;Cachoeiras de Macacu; Duque de Caxias; Guapimirim; Itaboraí; Itaguaí; Japeri; Magé; Maricá; Mesquita; Nilópolis; Niterói; Nova Iguaçu; Paracambi; Petrópolis; Queimados; Rio Bonito; Rio de Janeiro; São Gonçalo; São João de Meriti; Seropédica; Tanguá.
  • Ônibus interestaduais: está proibida a circulação de transporte interestadual de passageiros com origem nos seguintes estados: São Paulo, Minas Gerais, Espirito Santo, Bahia, Distrito Federal e aqueles em que haja transmissão comunitária do vírus. Depende de ratificação da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).
  • Voos: estão suspensos os voos internacionais ou nacionais com origem nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, Distrito Federal e aqueles em que haja transmissão comunitária do vírus ou situação de emergência decretada. Depende da ratificação da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).
  • Navios: está suspensa a atracação de navio de cruzeiro com origem em estados e países com transmissão comunitária do coronavírus ou situação de emergência decretada. Depende de ratificação da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ).

Aplicativos de carro

De acordo com o decreto estadual, os motoristas de aplicativos de carro de outros municípios não poderão buscar ou levar passageiros para o Rio; e os da capital não poderão sair do Rio. O próprio aplicativo vai bloquear os pedidos.

Trânsito

A partir desta quarta-feira (18) as faixas reversíveis em vias da cidade do Rio estão suspensas por tempo indeterminado. A mudança vale para a Linha Amarela e as avenidas: Dom Helder Câmara; Lucio Costa; Radial Oeste, e Prefeito Mendes de Moraes. Também têm alterações as ruas: Humaitá; Jardim Botânico; Professor Manuel de Abreu; Teixeira Soares; Visconde de Niterói. As faixas reversíveis nas vias da Orla da Zona Sul também estão suspensas.

Bares e restaurantes

A recomendação é que bares, restaurantes e lanchonetes funcionem com capacidade restrita a 30% da lotação. É pedido para a população priorizar o serviço de delivery (entrega) ou comprar a refeição e levá-la para ser consumida em casa. Para estes estabelecimentos que funcionam dentro de hotéis e pousadas, a recomendação é de atender apenas a hóspedes.

Shoppings

No primeiro decreto, os horários de funcionamento dos shoppings foram reduzidos. a partir de sábado, dia 21, os estabelecimentos vão suspender suas atividades. Apenas bancos e farmácias que funcionem dentro dos centros comerciais poderão funcionar. Os empreendimentos pertencentes à brMalls — Shopping Tijuca e Norte Shopping, na Zona Norte do Rio, e Plaza Niterói, em Niterói — estão com suas lojas fechadas até o dia 2 de abril. Veja aqui o funcionamento de outras redes.

Cinemas, teatros e casas de show

A diversão terá que ser em casa. Na última quinta-feira, Witzel determinou o fechamento de cinemas, teatros e casas de show no estado por 15 dias, contados a partir de sexta-feira, dia 13. A medida visa evitar principalmente aglomerações e concentração de pessoas em lugares fechados. Desde esta segunda-feira, as atividades em Casas de Convivência, cinemas, teatros, lonas culturais e museus da Prefeitura foram suspensas por determinação de Crivella. O prefeito do Rio recomendou a mesma medida para aparelhos culturais privados.

Academia

A rotina de exercícios físicos também terá alterações. O primeiro decreto de Witzel recomendava o fechamento de academias e espaços similares durante o período de 15 dias. Agora, o decreto proíbe o funcionamento desses estabelcimentos. O ambiente fechado e com grande movimentação de público poderia acelerar a propagação da Covid-19. As academias estão oferecendo vídeos de aulas para fazer em casa em seus aplicativos. A rede Body Tech informou o fechamento por 15 dias. A SmartFit suspendeu o funcionamento por tempo indeterminado.

Igrejas

Nesta segunda-feira, a Arquidiocese do Rio de Janeiro divulgou um decreto em que dispensa os fiéis da obrigação “de participar das Missas dominicais e nos demais dias de preceito”. Desde a semana passada, a arquidiocese estava fazendo uma campanha através de um comunicado com medidas a serem tomadas durante as celebrações, como missas com menor duração e distância entre fiéis. Aos fiéis idosos foi sugerido que ficassem em casa, acompanhando as missas pela internet.

Escolas públicas e privadas

O calendário escolar também parou nos últimos dias. Na sexta-feira, o prefeito Marcelo Crivella decidiu suspender as aulas, mantendo apenas os refeitórios abertos para o almoço, das 11h às 13h, e o programa “Sábados Cariocas”, de reforço escolar e atividades esportivas e culturais. Ontem, no entanto, a Justiça do Rio concedeu uma liminar determinando a suspensão destes funcionamentos.

Já o governador Wilson Witzel decretou suspensão das aulas em escolas públicas e particulares por 15 dias contados a partir o dia 16. O prazo pode ser estendido, conforme informado em nota, que trouxe como justificativa a antecipação das férias para evitar “o contágio rápido do vírus”. A Escola Naval, por sua vez, mantém suas atividades para 880 alunos, como informou a coluna de Ancelmo Gois.

Universidades públicas e particulares

No ensino público, as aulas estão suspensas por 15 dias na UFRJ, Uerj e UniRio e por uma semana na UFF. Entre as instituição particulares, o calendário de atividades também parou na Fundação Getúlio Vargas e na Unicarioca, por 15 dias; na ESPM, por uma semana; e na PUC-Rio, por dez dias.

Órgãos públicos

Prédios públicos fechados e home office como prioridade. Os órgãos também se adequaram para reduzir o vai e vem em suas repartições. Agendamentos, como prova de vida dos beneficiários do INSS e exames de habilitação do Detran-RJ, foram prorrogados. Os serviços completos podem ser conferidos aqui.

Emissão de passaporte

Os atendimentos ao público realizados pela Polícia Federal estão restritos para casos considerados “de extrema necessidade”. Mesmo os atendimentos agendados estão suspensos. A emissão de passaportes só será feita para pessoas que tenham viagem comprovada para os próximos 30 dias. A regularização migratória também tem condições especiais.

Detran-RJ

Todas as 495 unidades de atendimento do Detran-RJ do estado foram fechadas após casos identificados de coronavírus em alguns postos do Rio. Os casos de emergência serão atendidos no edifício-sede e em postos da região metropolitana e interior. O órgão também alterou o calendário de exames de habilitação. Os que estavam agendados entre 16 e 30 de março foram remarcados para o período de 6 a 20 de abril. Em caráter excepcional, as Carteiras Nacionais de Habilitação (CNHs) que estejam vencidas por até 60 dias, a contar da data de seu vencimento, devem ser aceitas por autoridades de trânsito e órgãos autuadores do Estado do Rio.

Pontos turísticos

  • Cenário inimaginável, os cartões-postais do Rio vão ficar vazios. Cada local tem uma data inicial sobre o período de fechamento, que pode ser prolongado.
  • Cristo Redentor: Seguindo a determinação do Ministério do Meio Ambiente — por pertencer ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) —, inicialmente o local fica fechado pelos próximos sete dias, a contar da noite desta terça-feira. Ontem, o funcionamento foi normal, mesmo após o decreto de Wilson Witzel.
  • Rio Star: A roda-gigante vai ficar parada por pelo menos até o dia 30 de março.
  • Bondinho Pão de Açúcar: O ponto turístico tem suas atividades paradas por pelo menos 15 dias, desde ontem (17).
  • Bondinho de Santa Teresa: O transporte pode ser usado somente por moradores do bairro, estando proibido para visitantes a partir desta quarta-feira (18), medida vigente por 15 dias. Os intervalos serão de 30 minutos e com limite de passageiros.
  • Escadaria Selarón: Desde esta terça-feira, os coloridos degraus, na Lapa, estão com acesso fechado pela Guarda Municipal do Rio a fim de evitar o acúmulo de pessoas no local.

Parques

Desde a quarta-feira, dia 18, o Ministério do Meio Ambiente determinou o fechamento dos parques nacionais. No Rio, há cinco deles: Parque Nacional da Tijuca, Itatiaia, Serra dos Órgãos, Serra da Bocaina, Restinga de Jurubatiba. Os parques estaduais também estão fechados.

Praças

As 24 praças gradeadas da cidade do Rio também foram fechadas enquanto a cidade estiver em situação de emergência em razão da pandemia de coronavirus. Entre as praças estão:

  • Praça Mahatma Gandhi
  • Praça Paris
  • Praça Nossa Senhora da Paz
  • Praça General Osório
  • Jardim de Alah
  • Pomar da Barra
  • Parque das Rosas
  • Largo da Penha

Praias, Rios e Lagoas

O banho de mar e a cadeira aberta na areia das praias vão ter que esperar. Primeiro houve recomendação à população para não frequentar praias, rios e lagoas. Agora, o decreto estadual, que passa a valer no sábado, dia 21, proíbe a visitação a todas as praias do estado. A prefeitura do Rio também determinou o fechamento dos quiosques da orla da capital. Diante da movimentação de banhistas na última segunda-feira, dia 16, equipes da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros percorreram as praias com megafones para pedir que os frequentadores deixassem o local. Sempre alertando sobre os perigos do coronavírus.

Consultas ambulatoriais

O governo do Rio suspendeu a realização de consultas ambulatoriais de caráter eletivo (não emergencial) por tempo indeterminado nas unidades de saúde pública, privada e universitárias. As exceções são as consultas em cardiologia, oncologia, pré-natal e psicologia, pois são pacientes que se não forem atendidos podem ter o estado de saúde agravado. Da mesma forma, aqueles que precisam receber medicamentos de uso contínuo ou ser vacinados.

Cidades

O Japão está subindo o tom contra a China de forma que não se via há muito tempo.

Publicado

on

O vice-primeiro ministro japonês, Tarō Asō, criticou a Organização Mundial de Saúde (OMS) e disse que Taiwan se recuperou rapidamente do vírus chinês porque não atende às demandas da Organização.

Em declaração aos parlamentares japoneses, o vice-primeiro ministro disse que a OMS deveria mudar seu nome para “Organização Chinesa de Saúde”.

Segundo ele, mesmo excluído do organismo de saúde global, Taiwan se tornou líder mundial no combate ao vírus chinês.

O Japão lidera uma petição pela renúncia do Tedros Adhanom, diretor da OMS. A petição já reuniu cerca de 500.000 assinaturas.

O político japonês ainda afirmou que se a OMS não tivesse insistido que a China não tinha epidemia de “pneumonia”, todos teriam tomado precauções.

Taiwan registrou apenas 252 infecções por coronavírus e apenas duas mortes em 26 de março, desde que a pandemia começou há quatro meses na China central.

Continue lendo

Cidades

Paquistão supera os 1.000 casos, mas mantém mesquitas abertas

Publicado

on

Mesmo com a propagação da covid-19 em seu território e em quarentena, o governo paquistanês ainda não tomou medidas para fechar os templos

Soldados patrulham ruas de Islamabad em meio à quarentena no Paquistão

Soldados patrulham ruas de Islamabad em meio à quarentena no Paquistão

O Paquistão mantém as mesquitas abertas apesar de ter ultrapassado os mil casos de infecção pelo novo coronavírus nesta quarta-feira (25) e mesmo com a imposição de medidas como a proibição de sair de casa.

“Mesquitas estão abertas em todo o país agora e as pessoas estão chegando”, disse Qibla Ayaz, presidente do Conselho Islâmico do Paquistão, instituição consultiva para as autoridades do país, onde 96% da população é muçulmana.

Porta-vozes das polícias das províncias de Punjab, com quase 100 milhões de habitantes, e Sindh, com cerca de 47 milhões, confirmaram à Agência Efe que a maioria dos templos religiosos ainda está aberta, já que nenhuma ordem foi dada para o fechamento, embora o fluxo de pessoas tenha diminuído.

Hoje o país bateu os mil casos de coronavírus, depois de realizar pouco mais de seis mil exames e confirmar sete mortes, segundo dados do governo.

Apesar da recusa em aplicar o confinamento nacional pelo primeiro-ministro Imran Khan, todas as províncias implementaram quarentenas em maior ou menor escala no início desta semana.

Além disso, o serviço de trens foi suspenso em todo o território, assim como o de vôos internacionais e nacionais, e também as fronteiras terrestres com China, Afeganistão, Índia e Irã, portas de entrada para o vírus no país.

Questão delicada

Ainda assim, o fechamento de mesquitas é uma questão delicada em um país profundamente religioso. E as autoridades religiosas estão procurando maneiras de impedir que os fiéis venham, sem que seja preciso anunciar um fechamento oficial.

“Não podemos usar o termo fechamento de mesquitas porque isso prejudicaria os sentimentos das pessoas. Diremos que elas ainda estão abertas e encontraremos maneiras de orar em casa”, explicou Ayaz.

O líder religioso indicou que amanhã começarão as reuniões dos principais clérigos do país com o presidente, Arif Alvi, para estudar a questão.

Centros de contágio

Templos e congregações já foram confirmados pelas autoridades locais como pontos de contágio. A cidade de Bhara Kahu, na capital, foi confinada nesta manhã, após localizar 13 clérigos que a visitaram após participar de evento religioso na cidade de Lahore que teve a participação de cerca de 250 mil pessoas.

Enquanto isso, os líderes islâmicos se recusam a fechar os templos religiosos.

“Mesmo quando há uma guerra e o inimigo está na sua frente, você não pode suspender orações. Não estamos nessa situação e podemos orar em mesquitas”, disse Ijaz Ashrafi, porta-voz do partido islâmico Tehreek-e-Labbaik Pakistan (TLP).

O islamita alertou que, se o fechamento das mesquitas for anunciado, eles poderão agir contra a decisão.

Muitos outros países de maioria muçulmana, incluindo a Arábia Saudita, suspenderam orações nas mesquitas para impedir a propagação do vírus.

Continue lendo

Cidades

Com 306 casos, Rússia é acusada de maquiar dados

Publicado

on

Os russos realizaram mais de 133.000 testes e não constataram morte por Covid-19; mas casos de pneumonia cresceram 5% em janeiro

O número de casos de pneumonia cresceram em 37% em Moscou no mês de janeiro em relação a 2019. Foram mais de 6.900 pessoas diagnosticadas – 23/02/2020 Evgenia Novozhenina/Reuters

O governo da Rússia  reportou 306 casos de contaminação pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) até o início desta semana, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Sob a sombra do passado soviético — notório por acobertar o desastre nuclear na usina de Chernobyl, em 1986 —, o governo do presidente Vladimir Putin é acusado pela oposição de maquiar os dados.

De acordo com o relatório mais recente da OMS, que contabiliza os casos relatados até o final de sábado 21, a Rússia reportou 306 enfermos e nenhum morto. Os índices são idênticos aos da vizinha Estônia, um país cerca de 110 vezes menor em termos de população. A Rússia tem 144 milhões de habitantes.

O jornal The New York Times aponta que o número de casos cresceu para 438 até esta segunda-feira, 23, e que a primeira morte foi registrada na quinta-feira 19, ou seja, antes da publicação do relatório da OMS. O governo russo alega que a morte foi causada por trombose, e não pela Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus.

“O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom, disse ‘teste, teste, teste’. A Rússia começou a testar desde o final de janeiro”, afirma a representante da OMS no país, Melita Vujnovic, à emissora americana CNN na quinta-feira 19 como uma das explicações para o sucesso dos russos em conter o avanço do vírus em seu território.CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Os russos realizaram mais de 133.000 testes até sábado, de acordo com a emissora americana ABCNews. Apenas a China, Itália e Coreia do Sul, três dos países mais atingidos pela pandemia, teriam realizado mais testes. A Universidade de Oxford, do Reino Unido, estima que a Rússia apresente a segunda menor taxa em casos confirmados por teste, 0.21%, acima apenas dos Emirados Árabes Unidos.

Além disso, a Moscou anunciou o fechamento de sua fronteira terrestre com a China — que se estende por mais de 4.000 quilômetros (equivalente à distância entre Porto Alegre e Natal) — em 30 de janeiro, quando ainda não havia nenhum caso do novo coronavírus confirmado em solo russo.

Pneumonia

Médica associada ao ativista político Alexey Navalny, uma das principais figuras de oposição ao governo Putin, Anastasia Vasilyeva denuncia os dados apresentados pelas autoridades sobre a situação da epidemia no país como inverossímeis.

“É muito fácil manipular” os dados, diz Vasilyeva, denunciado a atitude das autoridades em registrar a primeira morte na Rússia de um paciente contaminado pelo novo coronavírus como decorrência de trombose. “Se houvesse um fardo oculto e não reconhecido em algum lugar, seria visto nesses relatórios”, se defende Vujnovic.CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

De fato, o número de casos de pneumonia cresceu em 37% em Moscou no mês de janeiro em relação ao mesmo período em 2019, com base em dados do governo da Rússia. Foram mais de 6.900 pessoas diagnosticadas com pneumonia apenas na capital russa naquele mês. Em dimensão nacional, os casos de pneumonia cresceram 3%.

Continue lendo

Diversos

adm@7ports.com.br - comercial@7ports.com.br - ombudsman@7ports.com.br Copyright © 2020 - sevenports.com.br A vida começa da Última Milha